Desta participam Alexandre Fugita, Claudio Roca da blogTV Inc o Cardosão, Edney, o Fabio Seixas, Renato Shirakashi da Via6.com.

E o Wagner é o moderador e com um powerpoint miguxo com template de hello kit e começa alertando que as agências tem que sair do pedestal e que tem ver entender quando os blogs falam bem e falam mal tem que ser levado em conta. Claro que surgem todos os dias milhares de blog, e em sua maioria ruins, mas se um a cada dia for bom, no fim teremos pelo menos 360 novos blogs bons. Falou que as agências estão pensam que grandes blogs podem ser usados como seeding, ponto de partida para viralizações. Nem sempre funciona.
Falou também que a blogosfera é um rebanho e que tem comportamento de manada.
O Edney falou que a blogosfera tem várias outras microblogosferas dentro dela com seus nichos específicos. Surgiu uma pergunta de como encontrar os blog que são interessantes para determinado anunciante e o Edney citou que tem o BlogBlogs e o Google BlogSearch.
Neste momento uma pessoa secretamente pergunta se pode de
Cardoso falou que pequenos sites com poucos links conseguem aumentar muitas posições rapidamente. O Inagaki falou sobre um a vantagem de ter uma rede é que a estrutura pode ser mais complexa. O Cardoso falou que o meio bit já é uma empresa hoje em dia com área comercial. O Claudio falou que empresas não são mais amadores. O Wagner deu exemplos de ações com blogs como o blog do Pimentel e o blog do ursinho da Fiat. O Edney lembrou de ações como o Fake Steve Jobs que é claramente fictício são boas, mas não se deve tentar enganar o usuário. Ele continuam falando que hotsites são temporários e relacionamentos são a longo prazo. O Inagaki disse que participou de um projeto de blog temporário que a empresa fechou em um mês e ele considerou errado, pois as pessoas ficaram carentes sobre o assunto.
O Renato falou que comprou um post pago com 10 blogs grandes gastando 2.000 reais apenas. Ele citou também o SEO que poderia ser gerado por estes posts, mas ao mesmo tempo citou o nofollow para evitar o link pago. O Fabio citou que comprou post pago na França e teve uma certa confusão por não ter deixado claro que os posts deviam ter disclaimer. O Cardoso citou que só trabalha com disclaimer e que é fácil notar posts pagos. É só procurar no Google quantos posts repetidos. O Edney falou que as agências tem que conversar com os blogueiros e bolar coisas novas. Tem que ser inovador.