Depois do spam, o que há de mais polêmico em e-mail marketing é o qual formato enviar. Uma linha indica o formato em texto, devido a sua leveza, universalidade e simplicidade. Já a outra linha indica o html por sua beleza, possibilidades e personalidade. Vemos ver cada uma delas e descobrir qual é a melhor.

No mercado, o uso mais comum é o e-mail marketing em html. A escolha é por conta principalmente das possibilidades de criação que ele possui. Graças ao html, você pode incluir imagens, formatações e links com textos âncora mas agradáveis. O outro lado da moeda é que nem todos os programas de e-mail suportam html. Claro que hoje em dia isto é uma grande minoria, mas existem também os programas de não exibem perfeitamente html e o problema continua. Outro problema é o peso das peças em html. Devido a falta de conhecimento, algumas empresas disparam peças com apenas uma imagem com pesos de mais de 150kb. Algumas chegam a enviar vídeos e outras todas as imagens no anexo da mensagem. Claro que o despreparo é o maior culpado, mas o justo para pelo pecador.

Temos também a briga americana pró-texto. Segundo eles, as peças deveriam vir no formato “plain text” que é texto puro. Eles justificam que os spammers enviam peças em html, o que acaba sendo caracterizado pelas ferramentas antispam como pontuação para classificar como spam. O que hoje em dia já não tem tanto fundamento pois os spammers estão enviando também mensagens em formato de texto. Que diga nossa caixa de mensagem. Claro que existe a linha americana pró-html, mas acontece que o grupo a favor de texto é praticamente radical. Em nenhum caso eles sugerem e-mails em html.

Resolvendo as desvantagens do e-mail em html

Vimos que muitos dos problemas são causados pela falta de conhecimento de quem envia. Vamos ver algumas alternativas para resolvê-los. Uma é com relação a não visualização do e-mail. Basta colocar um links de caso não visualize no topo da peça. Ele deve ter o endereço completo visualizável. Outra são os disparos duplos. Existem ferramentas de e-mail marketing que permitem disparos em ambos formatos. Isto resolve vários problemas pois apenas se seu leitor de e-mail não visualizar a peça, será exibido o formato txt. O problema do peso com anexos é resolvido hospedando as imagens em um servidor e colocando links alternativos e deixando texto como texto e não em imagens. A conexão do usuário agradece.

Preferência do usuário

Bom, depois de tudo isto qual a conclusão? Bem, antes de vermos o resultado pense em quem realmente teria que decidir o formato enviado. O destinatário claro. Ele que tem que decidir o que quer receber. No momento do cadastro (subscribe) ele pode optar pelo formato que deseja. Outra possibilidade se você já tem uma base que recebe é perguntar ao usuário o que ele quer. Problema resolvido. Agora para a conclusão, a resposta simples seria o seu público é que decide, mas nada impede que você use html ou txt. Claro que cada uma tem seu preço. O formato texto por exemplo, não permite contabilizar abertura dos e-mails, mas impede assinatura de e-mail em imagem o que por sinal, todos que não sabiam, retirem dos seus e-mails. E os que não sabem que não se deve comprar o cd com um milhão de e-mails. Afinal, quem faz o profissional é você.