web


Hoje aconteceu o BarCamp. pela primeira vez o evento aconteceu no Rio de Janeiro e esta edição foi na PUC. Na hora marcada tinha pouquíssima gente, pois evento no Rio, domingo de manhã, acho que só a praia mesmo. Cheguei com pontualidade britânica e encontrei o Cris Dias. Batemos um papo e pegamos o kit de boas vindas que incluía uma camisa (preta ou branca), um guia do Rio e alguns folhetos. Logo depois chegou o Interney que veio direto da ponte-aérea. Aproveitei este início para bater um papo com a Fabiana Neves, com o Marco Gomes, o Mario do Jornalistas da Web, com o Marmota e mais uma galera. Depois de uma boa demora para começar finalmente fomos chamados para entrar na sala.

No início, aconteceu uma apresentação do Nick Elis sobre como funciona o BarCamp. Foram explicadas regras parecidas com o do Clube da Luta. Foram mostradas as logos dos eventos que aconteceram no mundo todo e fotos de edições passadas. Foi explicado também o funcionamento do painel e como sugerir eventos. No final das apresentação, o Fugita (finalmente encontrei depois de tantos desencontros) Marco Gomes e o Fabio Seixas anunciaram o Start-up Camp que acontecerá em São Paulo.

Assim que foi terminada esta apresentação, as pessoas foram para o painel marcar seus eventos. A primeira apresentação foi do de conhecer pessoalmente gente que só conhecemos por e-mail ou messenger.

Durante os bate-papos, Ian do Enloucrescendo, conheci o Noel do blog =), o pessoal do UnderGoogle, o Bruno e o Nando (que tinha) que são gente finíssima. Foi muito bom o papo com o Nando, uma pena que quando fui à Curitiba acabei me desencontrando dele.

Tiveram alguns assuntos marcados para discussão que eram bem engraçados como “blogar para pegar mulher” ou “hadouken – game camp”. A segunda palestra foi sobre orkut, com a Patrícia. O assunto tinha tudo para ser chato, mas as discussões geradas transformaram o assunto em várias conotações diferentes. Isto mostra que o modelo de desconferência tem tudo para dar certo, pois a palestra é construida pelos participantes. Teve também uma apresentação sobre “nova x velha” mídia e o assunto ficou acalorado, mas não passou de uma boa conversa citando novas alternativas como a do Radio Head e eu citei a da propaganda do Nissan no Heroes.

O que não gostei no evento é que como era domingo e não tem quase nada aberto próximo a PUC tivemos que ir até o Shopping da Gávea para comer algo. No almoço, voltei a conversar com o Nando, com o Wagner, o Rafael Perret e mais um monte de gente.

Na volta do almoço, também teve a apresentação do Interney e do Inagaki sobre o Interney blogs. Para quem já sabia do assunto não teve muita novidade. Achei legal eles comentarem que os blogs também devem se profissionalizar nos procedimentos, como construir um media kit. O Edney também falou outra coisa interessante que é a neurose que algumas pessoas estão tendo com reviews. Acham que tudo é jabá. Valeu depois um post dele sobre o assunto. O assunto extendeu…

Eu tive que sair cedo do evento, mas assim que encontrar links com outras coberturas e tiver atualizado o vídeo, atualizo o post.

Update: novas coberturas do BarCamp.

Hoje é o Blog Action Day. O tema é o meio ambiente e este ano parciticipei bastante do assunto e tenho vários projetos nesta área para o ano que vem.

Você vai se perguntar, como um blog ou site pode contribuir com o meio ambiente. De diversas formas. O Intercon fez uma ação de carbono zero para o seu evento deste ano. Você pode divulgar também que existem blogs com esta preocupação como o Faça a Sua Parte, o Blog do Planeta ou o Meu Ambiente. As possibilidades são várias.

E fica só nisso? Não! Você tem o mundo off line também. Este ano participei em Curitiba de da semana das Mudanças Climáticas. Pude conversar com o com Peter Lurz, da Newcastle University, especialista em ecologia e biodiversidade sobre como podemos transformar, aqui no Brasil, pequenas atidudes em grandes transformações. Falei também com Paul Wilkinson da London School of Hygiene and Tropical Medicine sobre o papel o impacto das mudanças climáticas nos microorganismos.

Também participei de vários videocasts como o sobre Crédito de Carbono com John Broderick do Tyndall Centre Universidade de Manchester e pude tirar várias dúvidas e descobrir coisas como o memorando de entendimento entre Brasil e Finl�¢ndia. Dá trabalho, confesso, mas não podemos ficar parados e não se preocupar com o futuro.

Fui a todas as edições do evento que já era bom melhorar mais ainda. O Fábio Seixas e o Cris Dias vão também. E você?

O Beto Largman teve uma idéia genial ao montar o evento e o resultado foi impressionante. Antes mesmo do evento começar, tive a oportunidade de conversar com o Bruno Alves. Trocamos muitas idéias, falamos sobre SEO, blogs e rimos muito. Quando deu a hora do evento, fomos ao Armazém Digital e lá vários rostos conhecidos como Priscila Gonçalvez e o Robson do Interfaceando que vi de longe. Conversei com o Bernabauer sobre como temos a impressão que já vimos a maioria dos rostos do evento, mas não temos certeza de onde. Acho que o mundo a blogosfera é muito pequeno. Compareceram também o Nick, o Alexandre Fugita (não consegui falar com ele) e o Cris Dias. Acho que a Lia estava lá, mas não tenho certeza.

Na mesa principal estavam o Fábio Seixas, o Beto, o Cardoso, o Paulo Mussoi e o Inagaki, que chegou um pouco atrasado pois vinha de São Paulo. O estilo do evento foi bastante agradável, o Beto conduziu muito bem deixando de lado o estilo ââ?¬Å?palestra depois perguntasââ?¬Â para ââ?¬Å?quem quer falar sobre o assuntoââ?¬Â. Muito democrático e funcionou muito bem. Entre os assuntos abordados estava rentabilização de blogs, em que o Cardoso mostrou que o post é mais embaixo, pois não é do dia para noite que se tem um blog de sucesso e que dá dinheiro. Ã? um trabalho de esforço diário. Ele contou que chega a colocar no ar mais de 10 posts por dia somando todos os seus blogs e que trabalha várias horas por dia com isto. O Bruno antes da palestra tinha me falado que postava no mínimo de 1 a 3 posts por dia e isso já tinha me assustado. Outra coisa que o Cardoso mencionou foi que o problogger deve primeiro se preocupar em escrever textos interessante para depois a grana entrar como conseqÃ?¼ência. Nada como a voz da razão.

O Inagaki falou também que considera estes rankings de import�¢ncia de blogs supervalorizados. O que acaba acontecendo é que blogs super importantes em determinados nichos como literatura e blogs de adolescentes não figuram nestas listas, mas que eles tem muita import�¢ncia nas suas áreas. Um pouco de cauda longa né?

Outro ponto abordado é se os blogs são formadores de opinião. Foi comentado que nem todo blog é formador de opinião, mas que o blog permite que surjam formadores de opinião. Na platéia falaram que o blog permite até que a massa tenha voz e que possa influenciar as coisas. Um dono de blog é praticamente um Roberto Marinho, já que o blogger cuida de todos os apectos da produção dos artigos, publicação…

Foi falado também que é muito bom as empresas perceberem o poder dos blogs e que é valida sim a idéia de uma empresa ter um blog. O que não pode acontecer é criar um blog corporativo com ââ?¬Å?posts releasesââ?¬Â e com pessoas de fora contratadas para blogar. Os funcionários da própria empresa é que devem alimentar o blog. Citaram o caso da DoceShop que deixa de ser uma doceria para ser uma referência na área. Os blogs passam a ser concorrência desleal com empresas que não os têm.

Também falaram sobre a polêmica do livro do Andrew Keen. O Cris Dias lembrou que ele tem milhões de links apontando para ele (bom para o Google), porém com a maior parte dos textos depreciativos o que não adianta muito. Praticamente todos concordaram que ele usava a polêmica para vender seu livro. Na plateia alguém a Camila lembrou que ele que critica tanto os blogs e tem um para vender seu livro. Outro ponto foi se os jornais que permitem comentários podem ser considerados blogs. A conclusão foi que não.

Não deu para ficar até o fim. Vou aguardar os post dos outros sites para complementar com os links de quem ficou.

Para inspiração, para se divertir e falar, “por que não pensei nisto?”. Veja o Short List dos Cyber Lions.
Fiquei impressionado com a quantidade de selecionados na categoria vídeo viral e games. Agora a surpresa: nossa, quantos brasileiros. =)

Depois da mudança de emprego, por diversos motivos acabei ficando de “férias” um mês da internet. Estas férias incluiram deixar de postar e comentar nos blogs, ler e-mails, editar comentarios, cuidar do 0BR e da lista 2.0 BR, ler feeds e diversas outras coisas do dia-a-dia da web. Volto e com um quadro assutador, milhares de e-mails e feeds para ler, comentários para aprovar, novos sites web 2.0 para incluir na lista. Nada que eu não esperasse se não fosse por um detalhe.

O serviço de encurtar URLs, o 0BR, foi retirado do ar pelo provedor de hospedagem por causa de um mal elemento que esta usando o site para propagar vírus e spam. Me assusta como as pessoas podem se aproveitar de um serviço gratuito para fazer mal as pessoas. Quem saiu prejudicado desta história fui eu que tive o site apagado pelo provedor. Eles me exigiram um capctha para evitar isto e falaram em cancelamento definitivo. Eu mesmo informei que captcha não resolveria, pois um mal elemento não se importaria com o ele. Acabei sem saída e tive que parar a entrada de novas urls. Existe motivação para continuar?

Bom, agora que as coisas acalmaram, me sinto como o capitão americao acordando do gelo. Como pode acontecer tanta coisa enquanto estive fora? Aos poucos vou digerindo tudo, mas os posts vão voltar a frequência. Até a próxima parada.

Vi no São Paulo já sem os anúncios em outdoors e fachadas por conta do cidade limpa. Bom para a internet e o rádio.

Next Page »