Vivemos um momento em que o usuário toma as rédeas da criação do conteúdo. A Time elegeu recentemente “você” como homem do ano. Isto acontece por conta dos novos sites e tecnologias que facilitam a publicação de conteúdo por qualquer pessoa sem necessidade de conhecimentos específicos. Basta um navegador e uma idéia na cabeça para que suas idéias e produções ganhem o mundo sem barreiras de tempo e espaço.

Muitos estão chamando este momento de web 2.0, termo cunhado pelo editor de livros Tim O’Reily é que recebe tanto apoio como críticas, já que não houve um momento de ruptura e sim um processo contínuo de evolução. Sites que contam com a participação do usuário tem surgido em todas as áreas como YouTube, Wikipedia, Flickr e Digg e o sucesso de um conteúdo também depende da escolha do usuário gerando quase que uma inteligência coletiva.

As tendências que surgem por conta disto são inúmeras. A mais recente é o User Generated Content – UGC. Uma das pioneiras neste campo foi a comercial do Doritos feito por um participante de um concurso.

Outro ponto é a força das redes sociais. A cada dia eles ganham espaço e despontam como sites mais acessados da rede e de maior permanência online. No Brasil, o melhor exemplo é o orkut que acabou virando um instrumento de inclusão digital. As pessoas passam o dia conectadas nestas redes da mesma forma que em um instant messenger. Nos países de língua inglesa, o MySpace é que domina o cenário. A tendência destas redes é a criação de micro comunidades que seriam como redes sociais de nicho, onde você teria os seus amigos daquela comunidade específica.

As buscas por informação na rede também aumentam de importância. Os principais sites de busca estão entre os mais acessados do mundo e eles tem planos de personalização das busca com conteúdo diversificado como o Alpha, site recém lançado pelo Yahoo! onde a sua busca retorna não apenas links, mas fotos, vídeos e diferentes contextos de resultados. A localização geográfica também já começa a influenciar os resultados. Por fim, a escolha dos usuários decidirá a ordem dos resultados apresentados. A plenitude deste caminho será a Web Semântica idealizada pelo criador da web Tim Berners-Lee.

Ainda é muito cedo para vislumbrarmos todas as possibilidades da Comunicação Online, já que a internet ainda é muito recente, porém já existem muitas oportunidades de utilizar a força da rede e dos usuários. O nosso trabalho é descobrir e criar a melhor experiência para os usuários neste processo.