o Fabio Gandour da IBM pergunta se pode introduzir o Richard Laemer autor do Punk Marketing.
Punk não é um estilo de cabelo, é uma maneira de agir. Por que não estamos aqui hoje.
Ele diz que não tem magic bullet. Temos que nos mexer e fazer a revolução. O consumidor está no controle. Citou o mundo do música e o impacto do punk. Cita que o Punk marketing é algo que você não sabe como vê, mas terá certeza quando vir, já que é impactante.
Questiona por que precisamos do Punk Marketing.

Para quem quiser, o manifesto punk está online e só consultar pois tudo que ele tem mostrado está lá. Ao evitar o risco, você simplesmente morre. O seguro é chato. Faça tudo o que você acredita. Nada é seguro. Citou de novo o case do subservient chicken e falou que isto era arriscado, mas valeu a pena pois gerou milhões de impressões. Depois ela foi copiada por muitos.

Falou de várias mentiras do marketing como alcançar a massa é cost effective. Nem tudo é massificado. Você tem que ser forte, bold e não fraquejar. Pessoas são individuais. Falou vídeo do YouTube da bridezilla que no dia do casamente não gostou do cabelo fez uma bagunça que foi filmada.

O artigo do manifesto favorito dele é o que os consumidores podem não estar certos e citou que quando Henri Ford quando foi perguntar sobre o que as pessoas precisavam para transporte elas responderam um cavalo mais rápido. Grandes marcas não nasceram de focus group.
Falou que honestidade é o ponto de partida e que precisamos de inimigos. Eles criam desafios. Falou de um case de um hamburger que não constava nos menus e que mudava de nome de tempos em tempos e que só quem sabia o nome podia comprar. Falou que a Apple é punk e uma religião enquanto o Google não é punk pois é consistente. Uma das três melhores palestras do evento.